']); _gaq.push(['_setDomainName', '.']); _gaq.push(['_trackPageview']); (function() { var ga = document.createElement('script'); ga.type = 'text/javascript'; ga.async = true; ga.src = ('https:' == document.location.protocol ? 'https://ssl' : 'http://www') + '.google-analytics.com/ga.js'; var s = document.getElementsByTagName('script')[0]; s.parentNode.insertBefore(ga, s); })();
Impressão Digital ou Off-Set

É mais económico imprimir pelo processo digital ou pelo processo de impressão offset?
Para dar resposta a esta questão, é necessário entender a diferença entre custos fixos e custos variáveis:

O CUSTO FIXO é aquele que não depende da tiragem, ou seja, tendo um trabalho de 100 ex, ou de 1000 ex. a chapa offset é sempre necessária e o seu custo é o mesmo.

O CUSTO VARIÁVEL é aquele que está directamente ligado à quantidade a imprimir, como o papel e a tinta. Se tenho mais tiragem, logo gasto mais consumíveis.

- O processo de impressão offset tem custos fixos e custos variáveis.
- O processo de impressão digital tem apenas custos variáveis.

Vejamos um exemplo prático:

Impressão OFFSET:

EM CUSTOS FIXOS: 50 Euros
São: fotolitos, montagens, chapas, a gravação e revelação da chapa, as afinações de máquina, lavagens de máquina, etc.

EM CUSTOS VARIÁVEIS: 0,02 Euros / cópia
PARA UMA TIRAGEM DE 100ex, fica em 50€ + (100 x 0,02) = 52 Euros
PARA UMA TIRAGEM DE 1000ex, fica em 50€ + (1000 x 0,02) = 70 Euros

Impressão DIGITAL:

EM CUSTOS FIXOS: 0 Euros (não existem custos fixos)
EM CUSTOS VARIÁVEIS: 0,2 Euros / cópia
PARA UMA TIRAGEM DE 100ex, fica em 0€ + (100 x 0,2) = 20 Euros
PARA UMA TIRAGEM DE 1000ex, fica em 0€ + (1000 x 0,2) = 200 Euros

CONCLUSÃO A TIRAR:

O custo unitário variável em digital, pode ser 10 vezes mais elevado que no offset (como no exemplo dado), mas o facto da impressão digital não ter custos fixos torna-o mais rentável para quantidades menores, como para 100ex. no exemplo dado. Para 1000ex. já o offset é mais rentável no exemplo dado.
Existe um BREAK EVEN POINT ou ponto de equilíbrio que determina para cada trabalho e em comparação com 2 máquinas qual a quantidade de exemplares onde os custos do digital com o offset coincidem. Desta forma poderemos saber qual o processo de produção mais económico face à tiragem pretendida.
O BREAK EVEN POINT pode ser calculado desta forma:

BEP = (CFTa+CFTb) / (CVUb-CVUa)
É a diferença entre os custos totais dividido pela diferença entre os custos varáveis.

BEP = BREAK EVEN POINT
CFTa = Custo Total pelo Processo de Impressão A
CFTb = Custo Total pelo Processo de Impressão B
CVUa = Custo Variável Unitário pelo Processo de Impressão A
CVUb = Custo Variável Unitário pelo Processo de Impressão B

No nosso exemplo seria:

CFTa = 50
CVUa = 0,02
a = offset

CFTb = 0
CVUb = 0,2
b = digital

BEP = (50 – 0) / (0,2 – 0,02) = 278 exemplares

Para provar:

278 ex. em offset = 50 + (0,02 x 278ex) = 55,6 Euros
278 ex. em digital = 0 + (0,2 x 278ex) = 55,6 Euros

CONCLUSÃO:

- Se a tiragem for inferior a 278 ex. é mais económico executar o trabalho pelo processo de impressão digital
- Se a tiragem for superior a 278 ex. é mais económico executar o trabalho pelo processo de impressão offset

NOTAS:

- Este é apenas um mero exemplo. Na prática o BEP varia de acordo com o tipo de trabalho, o custo das máquinas, o custo dos operadores, etc.
- Esta análise não tem em conta a qualidade de impressão pelos 2 processos, apenas se trata de uma análise pura de custos.

Deixe um comentário